Máscara de inalação

Máscara de inalação

De origem alemã, foi concebida em 1862 e construída em arame. Foi a primeira tipologia de máscara utilizada para a anestesia com clorofórmio . Não era articulada e era coberta com gaze e colocada a encerrar a boca e o nariz do doente. O anestésico volátil, gotejado sobre a compressa , mantinha o doente inconsciente. Esta máscara sofreu várias alterações ao longo de 30 anos e foi usada até 1880, data em que surgiu a máscara de Schimmelbusch que a veio substituir. A descoberta da anestesia foi a inovação clínica que mais revolucionou a cirurgia. Antes da descoberta da anestesia geral a cirurgia só podia ser raramente empregue em pequenas operações superficiais e em amputações de membros. A rapidez cirúrgica era essencial. O paradigma mudou radicalmente a partir de 16 de outubro de 1846, quando o odontologista americano William Thomas Green Morton (1819-1868) demonstrou e divulgou publicamente o uso, ainda que extremamente precário, da anestesia geral para cirurgia, utilizando vapores de éter sulfúrico. A segunda metade do séc. XIX apresentaria um progresso notável do conhecimento da fisiologia, farmacologia e início da anestesia geral.

Visita Virtual

Galeria

Especificações

Categoria
Anestesiologia
Cronologia
Século XIX (2ª metade)
Produções
Funções
Máscara utilizada para anestesia por inalação de clorofórmio.
Materiais
Arame, Tecido
Medidas
12,7 x 10,7 x 7,0 cm
Localização
Vitrina do Piso 5 «Anestesiologia»
Incorporação
Depósito SCMP no HSA
Nº Inventário
Vit - 102